Open Innovation Week

Notícias

Sobre Cultura Inventiva

Aly Khalifa, Gamil Design

Wenovate: Como você definiria Cultura Inventiva?

Aly Khalifa: A Cultura Inventiva se dedica a estabelecer um ambiente em que pessoas criativas são bem sucedidas e podem criar novos trabalhos. Tipicamente, ela permite experimentação, colaboração, pensamento inclusivo e determinação.

Wenovate: Como e quando ela surgiu para você?

Aly Khalifa: Como consultores criativos, funcionamos em ciclos de melhoramentos: como montar a estrutura para a equipe, como conduzir reuniões, como se comunicar com clientes, como organizar seu ambiente interno e também como contribuir com a comunidade. O que percebemos é que não havia uma única solução mágica. Estávamos reagindo a uma necessidade constante de manter uma cultura onde criatividade, colaboração e polinização-cruzada são cruciais.

Wenovate: Para você, o que é um ambiente criativo?

Aly Khalifa: Ambientes criativos têm que ter um equilíbrio sutil. Muito controle mata a criatividade, mas escolhas demais também. Um dos nossos métodos criativos é começar um design baseado no rascunho de outra pessoa. É muito mais fácil para as pessoas começarem a trabalhar com algumas linhas aleatórias do que em um papel em branco. Descobrimos que ambientes criativos precisam ter esse mesmo tipo de abordagem.

Wenovate: Há muitas empresas que adotam esse tipo de cultura. Como você acha que elas estão indo?

Aly Khalifa: Nossa empresa de consultoria, Gamil Design, fornece ideias criativas para muitos clientes internacionais. É nossa missão ver as coisas de forma diferente e é isso que guia nossa busca pela cultura inventiva. Formamos a Designbox para promover espaços de trabalho, salas de reunião e uma galeria mensal programada para abrir a possibilidade de colaboração e expressão com outros profissionais criativos. Rapidamente percebemos que o staff entrou em contato com outras pessoas criativas fora da estrutura, o que também trouxe benefícios para estabelecer o sentimento de propósito comum e finalmente levou ao estabelecimento dessa cultura.

Tiramos algumas lições da Designbox e decidimos aplicar em nossa cidade de Raleigh com um festival chamado SPARKcon. Desta vez usamos uma metodologia open source para abrir a participação para além das profissões com as quais estávamos mais familiarizados. Com uma missão e praticamente nenhum dinheiro, ficamos felizes em ter 250 pensadores pioneiros dando o tom da SPARKcon em seu primeiro ano. Oito anos depois, a SPARKcon é vista como um evento âncora na cidade e mostra o talento de mais de 1700 indivíduos da nossa cidade, em áreas como moda, música, grafite e performance circense. Agora ela traz mais de 35 mil pessoas. Essa experiência nos deu coragem para estar cada vez mais abertos para novos modelos de negócios e nos levou a muitos novos insights e oportunidades, como crowdfunding e outros tipos de colaboração.

Wenovate: Como criatividade, inovação e cultura inventiva estão relacionadas no seu trabalho?

Aly Khalifa: Vemos a cultura inventiva como um tecido conjuntivo que junta pessoas, habilidades, criatividade e energia, levando a ideias inovadoras. É difícil identificar imediatamente, mas é uma dessas coisas que “você sabe quando você sente”. Para construir essa cultura, você precisa exercitar a “liderança transformadora”, que é bem diferente da típica estrutura corporativa top-down. Na verdade, liderança transformadora é uma característica comum da maioria dos empreendedores. Então, se você quer se tornar um empreendedor, construa suas habilidades com trabalho voluntário.

Com a metodologia open source e voluntária da SPARKcon, aprendemos isso continuamente. Ainda que estejamos em processo, estamos conectando uma rede poderosa de pessoas criativas que apoiam umas às outras e isso explodiu em possibilidades ainda mais interessantes. Por exemplo, nosso último trabalho com a Lyf Shoes coloca nossa comunidade não apenas para desenhar os uppers, mas também para participar da fabricação em si.

Tendemos a focar em novos produtos e modelos de negócios, mas, no fim das contas, essas coisas só existem para nos ajudar a construir a cultura. Então, vamos construir uma que seja inspiradora.

Fonte: Wenovate

«voltar