Open Innovation Week

OIS 2013 - 6º Open Innovation Seminar | 25/11


Apresentação de tendências e conhecimentos que inspiram novos olhares sobre os desafios.

08:00

Credenciamento

08:30

Abertura
Condutor: Bruno Rondani, diretor Wenovate

09:00

Painel: Inovação Aberta e o conceito de Redes Distribuídas

Painelistas:
- Claudio V. Furtado, Diretor Executivo do Gvcepe - FGV-EAESP
- Jefferson de Oliveira Gomes, Departamento Nacional do Senai para Tecnologia e Inovação
- Jorge Ávila, Presidente do INPI - Instituto Nacional de Propriedade Industrial
Condutor: André Saito, diretor Allagi Open Innovation Services

O termo open innovation, cunhado há exatos 10 anos, causou grande frisson entre executivos, principalmente os de grandes corporações com elevados investimentos em P&D. Nesse período, no intuito de estimular a colaboração externa, praticantes de inovação aberta criaram e experimentaram diferentes modalidades gerenciais. O movimento de abertura do processo de inovação se estendeu, cruzando de P&D a modelos de negócios, de grandes empresas a startups, de produtos a serviços, de empresas a governo. Numa cultura cada vez mais aberta e horizontal, a prática da open innovation exige do gestor o entendimento sobre o comportamento de redes distribuídas. O painel irá reunir especialistas em inovação aberta, redes distribuídas e representantes de comunidades de cientistas, startups, indústria e investidores para debater o tema.

10:30

Palestra: Desafios desconhecidos: além da pesquisa de mercado

Palestrante: Salvatore Iaconesi, Faculty of Architecture of the “La Sapienza” University of Rome, ISIA Design Florence, the Rome University of Fine Arts and the IED Design institute, Italy.

Desafios de inovação promovidos por empresas têm se tornado cada vez mais comuns. As empresas lançam desafios específicos como forma de estimular funcionários e comunidades externas a proporem ideias e soluções. Muitas vezes, apesar de receberem centenas ou milhares de ideias, muito poucas são, de fato, implementadas ou produzem impacto significativo. Incapazes de interpretar o conjunto criado pelas ideias, os gestores em geral desqualificam a grande maioria delas e trabalham algumas poucas que lhes parecem fazer mais sentido. Por outro lado, as técnicas tradicionais de pesquisa de mercado que tentam captar o interesse do mercado para orientar os esforços de inovação também têm produzido efeitos limitados. Os questionários, entrevistas ou grupos focais que compõem a maior parte dos esforços de pesquisa de mercado são, quando usados isoladamente, ineficazes para identificar os requisitos do produto, especialmente quando os clientes não estão realmente cientes de suas próprias necessidades, as chamadas necessidades ocultas. Nesse contexto, Salvatore Iaconese apresentará como metodologias de antropologia e etnografia podem auxiliar a compreensão dos desafios desconhecidos numa era de informação ubíqua e, desta forma, identificar questões, redes humanas, culturas geográficas, rituais e hábitos emergentes, capazes de expor desafios inesperados e impactantes para orientar as oportunidades de inovação.

11:00

Café e bate-papo

11:30

Palestra: Frugal Innovation e o Papel da Multinacional no Ecossitema de Inovação

Palestrante: Henry Lopez-Vega, ESADE, Linkoping University, Sweden

Nos últimos anos, os países emergentes atraíram centros de inovação de multinacionais estrangeiras. Da mesma forma, empresas de países emergentes expandem sua presença global e investem em atividades de inovação local para o mundo. O papel desses centros tem um grande impacto no ecossistema do País. Novos conceitos como inovação frugal e inovação reversa serão abordados por Henry Lopez-Vega para explicar o novo papel dos centros de inovação das multinacionais presentes em países emergentes dentro do contexto da inovação aberta e das redes globais de inovação.

12:00

Palestra: Criação de Novos Negócios e Estratégias Empreendedoras

Palestrante: Thomas Blekman, Rotterdam School of Management, Erasmus University, Holland.

Costuma-se dizer que startups são empresas grandes que estão pequenas enquanto testam modelos de negócios que permitam realizar seu potencial. A realização desse potencial depende da capacidade empreendedora daqueles que estão à frente destas empresas. Enquanto nas startups o empreendedor tem grande autonomia e flexibilidade para explorar alternativas, a criação de novos negócios em corporações estabelecidas tem uma dinâmica distinta. Thomas Blekman foca em sua palestra o que executivos de grandes empresas podem aprender de empreendedores, na identificação de novas formas de crescimento e no desenvolvimento de novos modelos de negócio.

12:30

Palestra: Cultura de Investimento e Crowdfunding: alinhando cidadãos e governo em torno de um movimento pela inovação

Palestrante: Alexandre Cruz, Jive Investimentos

Nos últimos anos o governo vem induzindo instituições e organizações a investirem mais em inovação. Ao mesmo tempo, sabemos que o movimento pela inovação depende da atitude de pessoas e a decisão individual em tomar parte do risco para si e investir em ideias inovadoras. Alexandre Cruz, irá tratar, a partir de sua própria trajetória profissional, de como empreendedores e executivos bem sucedidos podem se tornam investidores de inovação realimentando um sistema que alinha cidadãos e governo em torno de ambiente mais favorável a inovação. Serão discutidos as modalidades de investimento anjo, crowdfunding, participação em empresas de participações e em fundos de investimento.

13:00

Brunchstorming

Track 1 | Desafios Estratégicos em Gestão da Inovação
Condutor: Eduardo Vasconcellos, Prof Titular da FEA USP na área de Gestão da Inovação e membro do Conselho Curador da FIA

 

Track 2 | Novas abordagens para a inovação
Condutor: Fábio Botelho Josgrilberg, pró-reitor da Universidade Metodista de São Paulo

 

Track 3 | Desafios Globais: Oportunidades para Inovação
Condutor: Anderson Rossi, consultor da Allagi Open Innovation Services

14:00

Painel: Desenvolvimento, Acesso e Incorporação de Novas Tecnologias

Painelistas:
Jorge Ávila, Presidente do INPI - Instituto Nacional de Propriedade Industrial
Claudiano Salles, Embraer

A inovação muitas vezes se viabiliza pelo uso de tecnologia. Essa tecnologia pode ser desenvolvida internamente, com parceiros, ou adquirida de diferentes formas e em diferentes graus de maturidade. A forma como ela é acessada impacta a capacidade de inovação da empresa e a apropriação de valor. Neste painel, especialistas e executivos irão debater como as práticas de inovação aberta têm contribuído com o desafio de criar capacidade de desenvolvimento, identificação e absorção de tecnologias necessárias para a inovação.

Painel: Arte e inovação: a fusão entre a expressão criativa e a tecnologia

Painelistas:
Salvatore Iaconesi, Faculty of Architecture of the “La Sapienza” University of Rome
Oriana Persico
Bernardo de Melo, Inhotim

Nada é criado sem antes ser imaginado. A arte vai além do observável e, portanto, pode ser fonte de inspiração para a inovação. A arte também tem sido usada como campo de experimentação e criado uma interessante abordagem para a inovação promovendo a fusão das fronteiras com a arte e a ciência. Neste painel reunimos especialistas para compartilhar suas visões e experiências desta abordagem praticada em diversos centros no mundo.

Painel: Sociedade da Informação, Cidadania e Governo Aberto

Painelistas:
Rodrigo Bandeira de Luna, Diretor do Instituto Cidade Democrática
Simone Cota, Escritório de Prioridades Estratégicas

Ao mesmo tempo que cada vez mais empresas privadas reconhecem a importância de engajar a comunidade de empregados e comunidades externas em seu processo de inovação, gestores públicos também adotam cada vez mais práticas de inovação aberta. O primeiro passo foi informar o cidadão, viável pelo avanço das tecnologia de informação estimulado por leis de transparencia muitas iniciativas já produzem impacto positivo. O segundo passo, ouvir o cidadão, tem funcionado bem em alguns poucos órgãos como a Anatel que tem mecanismos para rapidamente intervir junto as operadoras de telecom quando acionadas. O terceiro e mais fundamental passo, engajar o cidadão no desenvolvimento de ideias e projetos de inovação, é o tópico central deste painel. Algumas experiências no Brasil e no mundo tem demostrado o potencial desse tipo de iniciativa para a inovação nos serviços públicos e para o estabelecimento de mais e criativas parcerias público-privada.

15:00

Painel: Criação de Cultura de Inovação e Identificar, Incentivar e Engajar Pessoas

Painelistas:
Luiz Guedes, FIA e USP
Luiz Eduardo Serafim, Gerente de Marketing Corporativo, 3M

Ao mesmo tempo em que empresas buscam mais inovação, elas também tolhem a capacidade criativa e empreendedora de seus colaboradores. A inovação surge em ambientes onde as pessoas podem explorar sua criatividade, bem como experimentar e validar suas inovações, de forma interativa e colaborativa, com outros pares, dentro e fora da organização. O painel irá focar o debate entre executivos de empresas que investiram na criação desses ambientes como forma de estimular um novo padrão de interação entre seus colaboradores, voltado à inovação.

Painel: Inovação orientada ao design: criando novos mercados

Painelista:
Matteo Ingaramo, Diretor Geral do Consórcio POLI.Design
Massimo Canevacci, IEA-USP

A inovação, segundo os princípios do design-driven innovation, impulsiona negócios que, em vez de inovar a partir de demandas do mercado, criam mercados novos, de modo que seus produtos e serviços gerem motivações novas para o consumo. Esta abordagem busca responder questões como: “Como criar inovações que os clientes não esperam, mas que, eventualmente, adoram?” e “Como criar produtos e serviços tão distintos daqueles que dominam o mercado, de modo que as pessoas se apaixonem?”. É uma estratégia e processo que busca aproveitar a rede em que as empresas estão imersas, olhando "intérpretes" como cientistas, clientes, fornecedores, intermediários, designers, artistas - que ajudam a compreender profundamente e moldar os mercados em que trabalham. O painel irá reunir especialistas em Design-Driven Innovation de entidades que criam programas de estímulo à inovação no País a partir dessas abordagens.

Painel: Saúde, bem estar e assistência médica: a busca de novos caminhos a partir da colaboração

Painelistas:
Luiz Vicente Rizzo, Director for Research and Development no Albert Einstein
Edgard Rizzatti, Grupo Fleury

A expansão da necessidade de atendimento e o contínuo desenvolvimento tecnológico levaram o setor de saúde a uma espiral de custos crescentes sem ganhos relevantes no bem-estar. Existe hoje um grande esforço, não apenas de governos e sociedade, mas também de diversos setores da indústria da saúde, para encontrar novos modelos e mecanismos sustentáveis de manutenção da saúde e bem-estar. A solução para grande parte dos desafios na área da saúde hoje pode ser alcançada por meio da colaboração ativa entre clínicos, comunidades de pesquisas, atores da hélice tripla, governo, indústria, academia, e outros profissionais que trabalham no setor do sistema de saúde. O painel irá reunir especialistas e praticantes envolvidos em casos que demonstram o potencial da colaboração no enfrentamento desses desafios.

16:00

Café e bate-papo

16:30

Painel: Engajamento em Parcerias, Alianças e Redes de Inovação

Painelistas:
Sarah Potts, Commercial and Partnerships Manager, BG Group
Josue Monterossi, Wahler do Brasil

A prática da inovação aberta deve ser de mão dupla. Muitas empresas se abrem para receber propostas de fora, mas não para colaborar com o ecossistema externo, ou não se abrem para a colaboração interna, criando departamentos isolados de inovação. Nestas condições, a prática de inovação aberta é incapaz de produzir resultados sustentáveis. Especialistas e gestores irão debater o real sentido da prática da inovação aberta e o que ela implica. O desafio proposto é de como obter o engajamento tanto de colaboradores internos, quanto de parceiros e comunidades externas, na prática da inovação aberta.

Painel: Educação e inovação

Painelistas:
Zacarias Gonçalvez Junior, Apple
Andy Green, Bloodhound
Lindália Sofia Reis, Estácio de Sá

As instituições e empresas de educação formal e corporativa se veem desafiadas a pensar criativamente e sustentável financeiramente a incorporação das recentes tecnologias de informação e comunicação (TIC) aos processos educativos. O governo avalia novas formas de flexibilização do aprendizado mediado por TIC, empresas fornecedoras de soluções de TI investem cada vez mais em verticais de educação, as instituições lidam com culturas de ensino estabelecidas, stratups multiplicam as possibilidades de entrega de conteúdo e relação entre docentes e estudantes. A solução para grande parte dos desafios na área da educação hoje pode ser alcançada por meio da colaboração ativa entre os diversos atores do processo educativo. O painel irá reunir especialistas e praticantes envolvidos em casos que demonstram o potencial da colaboração no enfrentamento desses desafios como nova abordagens.

Painel: Inovação Social: acessando riqueza na base da pirâmide

Painelistas:
Rogerio Hamam, Secretário de Desenvolvimento Social do Estado de São Paulo.
Letícia Piccolotto, Fibra Social

Anteriormente restritos ao campo das politicas públicas, terceiro setor, entidades religiosas ou programas de responsabilidade social de grandes empresas, projetos sociais não tinham a mesma relevância que têm hoje. Empreendimentos sociais inovadores, com modelos de negócios sustentáveis, deram força ao conceito de inovação social que é fortemente fundamentado na colaboração. O crescimento econômico observado nas últimas décadas em países que sofrem de graves problemas sociais, como é o caso de Brasil, Índia, Turquia e Peru, foi campo fértil para o desenvolvimento de inovações no campo social. A integração de projetos sociais com projetos economicamente relevantes para empresas mostra o potencial dessa nova abordagem para a inovação colaborativa. Empreendedores sociais, representantes de governo e empresas irão debater neste painel os aprendizados que tiveram com essa prática.

17:30

Painel de aprendizagem e
Fechamento

Painelistas:
Carlos Henrique Pereira, UNIFEI
Mauricio Benedetti, Mackenzie

Painel de aprendizagem e
Fechamento

Painel de aprendizagem e
Fechamento

18:00

Fechamento